Ação e a busca da felicidade

Ação e a busca da felicidade

A obra de Hannah Arendt (1906-1975) constitui uma das mais importantes contribuições para se compreender o complexo quadro político do século XX. Os quatro ensaios reunidos nessa edição organizada por Heloisa Starling pertencem a três momentos diferentes de sua trajetória e têm como principais temas de análise a liberdade e o exercício da política. “Imperialismo totalitário: reflexões sobre a revolução húngara” fez parte da edição de 1958 de Origens do totalitarismo, o primeiro livro da autora, e expande a noção de totalitarismo de forma a dar conta do caso soviético. Trata-se também de uma veemente denúncia do massacre do levante de Budapeste, feita pouco tempo depois do emblemático episódio.

Os ensaios “Ação e a busca da felicidade” (1961) e “Revolução e liberdade” (1962) datam do período em que a escritora preparava o livro Sobre a revolução, de 1963, que investiga basicamente as duas revoluções modernas – a francesa e a americana – destacando uma forma política nova que aparece com elas, o sistema dos conselhos. Ambos os textos fazem o elogio do caráter espontâneo da ação e lembram da alegria da participação na vida política, resgatando a noção de felicidade pública. Já em “Direitos públicos e interesses privados” (1974), um dos últimos escritos da autora, Hannah Arendt insiste que a liberdade não se esgota no âmbito da vida privada e individual, mas é uma qualidade da experiência política, devendo ser considerada até como sua razão de ser.

Com seu espírito aberto e de forte teor crítico, os ensaios desse livro integram a Coleção Ensaios Contemporâneos, buscando estimular uma interrogação sobre nosso tempo.

bcds

  • Compartilhar:

Detalhes do livro

ISBN: 978-85-69924-33-3

Organização: Heloisa Starling

Tradução: Virgínia Starling

Número de páginas: 248

Formato: 12,5 x 18,5 cm

Ano: 2018

Projeto gráfico: Estúdio Malabares – Julieta Sobral e Ana Dias